Doenças das Unhas

Micose das unhas
Unhas fracas
Unhas encarnadas


Micose das Unhas

A micose das unhas é uma afecção causada por fungos presentes no ambiente, e que se instalam e proliferam nas unhas, deixando-as amareladas e quebradiças (esfarelam). As micoses de unhas são mais frequentes em pessoas com profissões que exigem contato constante com água, esportistas, doentes com problemas vasculares ou tomando imunossupressores, diabéticos, e frequentadores de piscinas e saunas. Geralmente as mulheres passam a ter micoses das unhas quando as pessoas do sexo masculino, que convivem com elas, transmitem as infecções para as suas unhas. Os fungos liberam esporos que ficam nos ambientes domésticos por longos períodos (banheiros, tapetes, piso molhado). As mulheres e as crianças são mais resistentes às micoses de unhas. Se elas apresentam micoses das unhas, com grande frequência, o adulto do sexo masculino as contaminou. Outra fonte bastante comum de infecção fúngica das unhas são os institutos de beleza (manicures e pedicures). Nestes locais devem ser observadas as condições mínimas de higiene e assepsia, para garantir às clientes segurança contra infecções cruzadas (fúngicas, virais e bacterianas). Leia Como prevenir a contaminação nos salões de beleza.

As micoses de unhas são perfeitamente curáveis, e a duração do tratamento depende da extensão e comprometimento das unhas (das mãos e dos pés). Os tratamentos atuais são eficazes e de curta duração, com medicamentos seguros e de poucos efeitos colaterais. Podemos tratar as micoses com medicamentos locais ou sistêmicos. Geralmente os locais são os esmaltes antifúngicos e mesmo produtos aplicados diretamente nas unhas. Por via sistêmica (comprimidos ou cápsulas) são mais eficientes, mas nem todos os pacientes podem tomá-los. Pacientes imunocomprometidos podem tem recorrência destas infecções e necessitam tratamentos continuados.

Dicas: tratar as micoses das unhas o mais rápido possível, pois o fungo tende a comprometer totalmente as unhas, tornando o custo e duração do tratamento maior. Se a micose estiver no início, o tratamento pode ser local e de rápida resposta terapêutica. Agora, se todas as unhas forem comprometidas ou se o fungo já destruiu completamenta a unha (até a matriz), o tratamento fica mais caro e mais demorado (6 meses). Nunca ande descalço em piscinas, vestiários, banheiros e saunas. O fungo está presente em todos os ambientes, e se este estiver úmido, há grande chance de contaminar a sua pele e em consequência, as suas unhas.

Ultima atualização: 08/01/2006



Unhas Fracas

Na linguagem habitual define-se unha como a placa dura que se localiza na região dorsal da extremidade de cada dedo das mãos e pés. Na verdade, nestas extremidades temos um complexo ungueal, que consiste da lâmina ungueal, do leito ungueal, da matriz e dos tecidos periungueais. A principal função destas estruturas é proteger a ponta dos dedos dos traumatismos e preservar a sensibilidade táctil (tato).

A lâmina ungueal é um anexo cutâneo queratinizado especializado, que não descama como a pele e não cai como os pêlos. Sua flexibilidade se deve ao alto teor de enxofre (3,2%), e não ao cálcio, que está presente em quantidades mínimas (0,1-0,2% do peso). A concentração de enxofre diminui muito em caso de atrofia e distrofia das unhas. Os lipídeos (0,1-1%) são encontrados na forma de colesterol e ajudam a manter a coesão e elasticidade da normal da unha. A falta de colesterol torna a unha seca e suas células se separam facilmente. A pouca presença de água (7-12%) ajuda na dureza da lâmina ungueal.

Unhas frágeis podem ser consideradas equivalentes à pele seca ou cabelos com pontas quebradiças. Na maior parte das vezes é um problema adquirido. O tratamento básico é a prevenção e proteção das causas de desidratação da lâmina. Eliminar, se possível, hábitos ou agentes químicos associados.

Dicas: colocar os dedos na água por 10 a 20 minutos à noite e a seguir, aplicar óleo mineral ou vaselina. Não usar as unhas como ferramenta e mantê-las curtas, evitando que se quebrem. Os esmaltes podem proteger dos traumatismos, mas os removedores de esmalte podem fragilizar as unhas.

O dermatologista pode recomendar o uso de esmaltes com formaldeído e suplementação de biotina, para estimular a síntese de lipídios que aumentam a coesão entre os corneócitos da lâmina ungueal, tornando-as mais duras e resistentes.

Ultima atualização: 19/11/2005



Unhas Encarnadas

A unhas podem encarnar (encravar) quando a parte lateral da lâmina ungueal cresce normalmente e empurra os cantos dos dedos do pé para frente. Este movimento para frente pode ser dificultado pela presença de um defeito na lâmina ungueal, como esporão ou serrilhado. Este defeito é causado por sapatos muito apertados, e mais freqüentemente por manipulações realizadas durante o corte inadequado da borda ungueal (manicures, pedicures). Quando uma unha encrava, o dedo torna-se inflamado (dolorido, vermelho, inchado, com febre) e muitas vezes apresenta secreção purulenta no local. Em alguns casos pode apresentar crescimento de granuloma piogênico (carne esponjosa), com sangramento freqüente.

Medidas imediatas:
Coloque o pé de molho durante 20 minutos duas vezes ao dia em água morna com um pouco de sabão bactericida. Enquanto o pé estiver de molho faça uma massagem sobre a parte inflamada.
Use uma pomada antibiótica cinco ou seis vezes ao dia.
Corte o canto da unha, deixando-o livre.
Não use sapatos.

Calce sandálias ou deixe seu pé descalço o máximo possível para evitar a pressão sobre a unha, mas quando tiver que usar sapatos fechados, proteja a unha encravada da seguinte maneira:
Se o lado interno estiver machucado, coloque uma esponginha presa com fita adesiva entre o dedão e o outro dedo a fim de evitar que fiquem se tocando.
Se o lado machucado for o externo, coloque uma esponginha com fita adesiva na parte externa do dedão para evitar que a unha fique tocando a parede do sapato.

Como prevenir as unhas encravadas:
Previna a recorrência das unhas encravadas desfazendo-se dos sapatos de bico fino ou que ficaram apertados.
Corte as unhas retas deixando os cantos livres.

Procure imediatamente um médico se:
A secreção purulenta não regredir em 48 horas.
Houver formação do granuloma piogênico com sangramento freqüente.
A inflamação do dedo se estender, com febre e vermelhidão.
Se for diabético ou tiver tomando imunossupressores.

Ultima atualização: 19/11/2005